1.2.11

nem tudo na vida é como parece


nada fazia sentido, respirar não fazia sentido, andar não fazia sentido, olhar á minha volta também não fazia sentido. vivia contra mim, contra a minha vontade, contra a meu pedido, foi como entrar num beco e não encontrar a tal saída, gritei e só ouvia o meu eco, foi como estar entre duas paredes, presta a ser esmagada por um elefante com tamanho descomunal, sentia-me pequena rodeada de gigantes, sentia-me grande cercada por ignorantes, quando achamos que temos a teoria da vida perfeita, um dia mais tarde, fazemos a grande desfeita. já tive a vida perfeita, admito, já fui bastante feliz, mas agora é que reparei que a estrada da minha vida , tem muitos falhos, muito precipícios, e precisa de acabamentos, não posso caminhar nela enquanto não estiver um segmento de recta sem fendas nem lascas, um segmento de recta sem inicio e sem fim. ♥

Sem comentários:

Enviar um comentário